DUAS CASAS NAS ILHAS DA MADEIRA

Ilhas Selvagens - Portugal
Concurso
m2

30°05’ 40”Norte, 15 °51’50” Oeste. Oceano Atlântico.

 

Proposta para uma casa grande e uma casa pequena nas Ilhas Selvagens, Ilha da Madeira, Portugal.

Não tem um nome, porque sempre foram referidas como Selvagens. Os homens não lhe encontraram outra vocação. Esta terra, que ainda é chão de Portugal,é o destrito da sua própria biodiversidade. Só nos resta olha-las e velar por elas, as ilhas Selvagens. Ali fará morada, temporariamente, o visitante-vigilante. A medida da sua própria casa, porque habitará um lugar que não é seu, nem é casa de ninguém. Neste lugar ermo como Ulisses em Ogigia. Retido entre o encantamento da ilha e a nostalgia. E o mar a ponte entre os lugares, que restabelece a distância à vizinhança de um país que é o mesmo. O lugar de melancolia como na pintura de Böcklin, Ulises e Calipso, 1882. Embrulhado num manto negro, Ulisses recorda o seu verdadeiro lar. De pé. É deste manto negro que é exacerbada as tipologias eficaz para acolher moradas diversas e temporárias. Uma casa/duas casas: uma casa arquipélago. De uma forma una e de uma mesma materialidade derivam duas tipologias inversas. Uma introvertida e outra extrovertida, cada um no seu meio. O centro da casa da ilha Selvagem maior, retirado para dar lugar a um pátio, constituirá a casa na ilha Selvagem pequena.

_______

Architecture team: Filipe Lourenço, Gabriella Gama, Inês Braz, Vanessa Vieira, Gustavo Costa.

Renders: Inhomes Design.